Claro começa a trocar cabo por fibra óptica na internet fixa em São Paulo | Telecomunicações

Curso Código Milinário


A Claro é a maior operadora de banda larga do Brasil em grande parte devido à rede de cabos coaxiais (HFC), que ainda é responsável pela maioria dos acessos de internet fixa da empresa. A operadora vem adotando fibra óptica em novos municípios — mas agora sinaliza que pretende expandir a oferta da tecnologia com a substituição do cabo pelo FTTH também em regiões de São Paulo.

Claro iniciou vendas de internet por fibra em São Paulo (Imagem: Felipe Ventura / Tecnoblog)

As informações foram reveladas pelo leitor David Diniz. Ele explicou ao Tecnoblog que ligou para o atendimento da Claro com objetivo de reclamar sobre a velocidade de sua banda larga via cabo. Durante a chamada, o atendente ofereceu a migração da tecnologia HFC para a fibra óptica na sua residência, localizada na região da Av. Paulista.

Diniz imaginou ser uma confusão do atendente, uma vez que a Claro costuma anunciar “internet com fibra” quando a última milha é entregue por meio de cabos coaxiais. Não foi o caso, e um técnico realmente foi até sua residência para fazer a instalação da banda larga com tecnologia FTTH.

Distribuidor óptico interno da Claro (Imagem: David Diniz/Arquivo pessoal)

Distribuidor óptico interno da Claro (Imagem: David Diniz/Arquivo pessoal)

Distribuidor óptico interno da Claro (Imagem: David Diniz/Arquivo pessoal)

Distribuidor óptico interno da Claro (Imagem: David Diniz/Arquivo pessoal)

Fibra óptica da Claro foi instalada em conjunto com cabo coaxial (Imagem: David Diniz/Arquivo pessoal)

Fibra óptica da Claro foi instalada em conjunto com cabo coaxial (Imagem: David Diniz/Arquivo pessoal)

Uma das vantagens relatadas pelo leitor é o incremento no desempenho: ele tem o plano de 240 Mb/s, e no cabo coaxial a velocidade de upload era de apenas 20 Mb/s. Com a mudança para a Claro Fibra, o upload saltou para 120 Mb/s. O modem utilizado foi o Humax HP610.

Teste de velocidade da Claro Fibra em São Paulo (Imagem: David Diniz/Arquivo pessoal)

Teste de velocidade da Claro Fibra em São Paulo (Imagem: David Diniz/Arquivo pessoal)

O técnico da empresa afirmou para Diniz que se trata de um piloto, que contempla algumas regiões da capital paulista. Ao contrário das cidades atendidas apenas com fibra óptica, as regiões de São Paulo com Claro Fibra não possuem TV por assinatura via IPTV; o serviço continua sendo entregue por meio de cabo coaxial.

O leitor também relata que a Claro fez uma adequação no prédio entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021. Na ocasião, a operadora instalou cabos ópticos e uma caixa interna para distribuição de fibra.

Modem Humax usado pela Claro Fibra (Imagem: David Diniz/Acervo pessoal)

Modem Humax HP610 usado pela Claro Fibra (Imagem: David Diniz/Acervo pessoal)

O Tecnoblog procurou a Claro para esclarecer se pretende substituir a rede de cabos coaxiais pela fibra óptica; qual é a cobertura FTTH em São Paulo; qual a previsão de expansão da tecnologia; quais cidades receberão o upgrade; e por que a TV por assinatura não foi migrada para a modalidade IPTV. A empresa não retornou o contato até a publicação da matéria.

Claro já oferta banda larga por fibra na loja online

Já é possível contratar a banda larga por fibra em São Paulo: o Tecnoblog consultou endereços próximos a residência do leitor e encontrou a oferta de banda larga.

Contratação da Claro Fibra em São Paulo está disponível no site da operadora (Imagem: Reprodução)

Contratação da Claro Fibra em São Paulo está disponível no site da operadora (Imagem: Reprodução)

Não iremos revelar o endereço exato onde a Claro Fibra foi encontrada para preservar a localização do leitor. A disponibilidade parece ser bem restrita, uma vez que não é possível (no momento) contratar o serviço em ruas próximas.

Claro se rendeu à fibra?

De acordo com a Anatel, a Claro tinha 9,84 milhões de conexões de banda larga em janeiro de 2021. Desse total, 9,3 milhões utilizam tecnologia de cabo coaxial, enquanto apenas 522,4 mil acessos são conectados por fibra óptica. É preciso considerar que contratos corporativos da Embratel também entram nessa conta, o que reduz ainda mais a participação presença com o padrão FTTH.

Em 2019, o diretor de marketing da Claro, Marcio Carvalho, afirmou ao Telesíntese que o investimento em fibra valia a pena para construção de novas redes onde a empresa não possuía presença, e nas demais praças a tecnologia HFC supria a demanda.

Na mesma ocasião, Carvalho também disse que “naturalmente os clientes HFC vão passar para a fibra pura em algum momento”, e que, até lá, a operadora usaria o padrão DOCSIS 3.1, que deixa o cabo em pé de igualdade ao FTTH.

Comparando apenas velocidades, o DOCSIS 3.1 realmente consegue competir com redes FTTH, mas apenas no download. Existem operadoras nos Estados Unidos que ofertam planos com velocidade de 1 Gb/s pelo cabo coaxial, mas com upload bem baixo.

Na sua banda larga mais cara para usuários residenciais, com 500 Mb/s de velocidade, a Claro oferece míseros 35 Mb/s de upload no cabo coaxial, enquanto o mesmo plano da Claro Fibra tem taxa de envio de 250 Mb/s. O baixo upload deixa a Claro em desvantagem na comparação com Vivo Fibra, Oi Fibra, TIM Live e diversos provedores regionais

A fibra óptica, por meio do padrão xPON, tem a vantagem de permitir uma rede 100% passiva, que não depende de elementos intermediários na rede como fontes de alimentação ou amplificadores de sinal. A capacidade de tráfego também pode ser maior, o que permite abrigar mais usuários com menos chances de congestionamento de tráfego, além da tecnologia não ser suscetível a interferências eletromagnéticas.

Tomara que o momento de abandonar o cabo em prol da fibra óptica esteja próximo.

NET já teve banda larga por fibra óptica em São Paulo

Não é a primeira vez que o Grupo Claro atua com fibra óptica para internet fixa em São Paulo. Em 2014, a NET lançou a banda larga NET Virtua na velocidade de 500 Mb/s com tecnologia FTTH.

O plano era restrito, principalmente pelos valores cobrados: a mensalidade da internet avulsa era de R$ 1.499,90; no combo, o valor caía para R$ 799,90 por mês. A parte mais curiosa desse plano antigo de 500 Mb/s da NET é que o serviço incluía outra banda larga de 30 Mb/s entregue através de cabo coaxial.

Atualmente, a Claro comercializa a banda larga residencial de 500 Mb/s via cabo coaxial em São Paulo e Rio de Janeiro. O preço mensal é de R$ 449,99, e o plano tem velocidade de upload de apenas 35 Mb/s.



Fonte Notícia