Copel e Claro alertam clientes sobre golpes envolvendo pagamentos e dados


O aumento no índice de golpes que tentam fraudar pagamentos ou obter dados pessoais de clientes levou as operadoras Claro e Copel Telecom a entrarem em contato direto com os clientes. Os avisos surgem, coincidentemente, na mesma semana e se referem a tentativas de fraude envolvendo e-mails que tentam se passar pelas companhias.

São alternativas comuns, mas que estão acontecendo com frequência suficiente para levar aos alertas. No caso da Copel Telecom, os clientes foram informados por e-mail sobre as campanhas de phishing, que tentam se passar por promoções em pacotes de banda larga. Os dados, se fornecidos, são enviados a golpistas para uso em golpes que envolvem o roubo de identidade ou a prática de tentativas mais sofisticadas e direcionadas, de olho em credenciais ou valores financeiros.

Alerta da Copel Telecom chega por e-mail e fala de tentativas de golpe pelo mesmo meio, usando promoções para induzir clientes a entregar dados pessoais (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

De acordo com a operadora paranaense, a recomendação é que os clientes não cliquem em links que cheguem por correio eletrônico e observem os remetentes dos e-mails, com as comunicações oficiais sempre vindo do endereço @copel.com. Ainda, a empresa pede que informações pessoais não sejam fornecidas por estes meios, enquanto todo o atendimento e consulta sobre promoções devem acontecer por meio da área do cliente.

Já no caso da Claro, os golpes são mais diretos e envolvem o envio de boletos e notificações de pagamentos em atraso. É uma prática comum, mas os documentos para pagamento podem trazer dados como nomes completos e CPFs dos clientes, assim como contam com materiais visuais e trazem endereços de correio eletrônico que simulam de forma próxima os serviços da própria operadora, aumentando a aparência de legitimidade.

Boleto anexado pelos golpistas em nome da Claro tem vencimento próximo e tenta passar uma impressão de que existem vários pagamentos devidos, como forma de pressionar a vítima a realizar o pagamento para não perder acesso aos serviços (Imagem: Captura de tela/Felipe Demartini/Canaltech)

O próprio boleto é anexado ao e-mail, com data de vencimento próxima e valores altos que podem indicar um acúmulo de pagamentos devidos. Entretanto, chama a atenção o fato de o documento parecer incompleto e não seguir o padrão normalmente usado pela Claro, com poucos dados pessoais do cliente e apenas um código de barras, sem discriminação de serviços, pacotes contratados ou demais informações que constariam em uma fatura desse tipo.

Os alertas da companhia estão chegando por SMS e pedem que os usuários sempre consultem se suas contas estão em dia por meio do site oficial ou do aplicativo Minha Claro. Além disso, a indicação é de pagar apenas boletos que tenham códigos de barras iniciados pelos números 846 ou 848 — todos os outros são falsos e foram criados por golpistas em nome da companhia.

A recomendação geral, do ponto de vista da segurança, é sempre desconfiar de links e e-mails que cheguem por mensagens de texto ou e-mail. Eles devem ser acessados somente quando o usuário tiver certeza de sua legitimidade, e claro, o mesmo também vale para a realização de pagamentos ou fornecimento de dados; o ideal, em caso de dúvidas ou indicações de falsidade, é ignorar os contatos e entrar em contato com os serviços oficiais para mais informações.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.



Fonte da Notícia