Diretor do OpenSea usava plataforma para lucrar com compra de NFTs com antecedência

Curso Código Milinário

Nate Chastain, o chefe de produtos do OpenSea, que é hoje o maior mercado de tokens não fungíveis (NFT) do setor, foi pego por um usuário da comunidade cripto tirando proveito do seu acesso exclusivo à plataforma para comprar NFTs antes que eles fossem exibidos na página inicial do site.

A denúncia foi feita na noite de terça-feira (14) no Twitter pelo usuário @ZuwuTV que escreveu: “Hey OpenSea, por que parece que Nate Chastain tem algumas carteiras secretas que parecem comprar seus drops de primeira página antes de serem listados?”.

O usuário apontou que depois de adquirir os NFTs, Chastain os revendia logo em seguida, aproveitando o destaque que eles recebiam ao aparecer na página inicial do site para aumentar os lucros.

O empresário foi pego porque os lucros eram transferidos para a carteira Ethereum onde ele armazena o seu CryptoPunk, conforme o usuário responsável pela denúncia provou vinculando o link de uma transação. É possível saber que o endereço pertence Nate Chastain porque ele informa no seu perfil oficial do Twitter ser o detentor do Punk #3501.

O caso logo ganhou destaque nas redes sociais, levantando a fúria dos participantes desse mercado que tem se tornado cada vez mais competitivo. “Às vezes, espero horas a fio pelos NFTs da primeira página e, assim que eles saem, alguém já a comprou misteriosamente naquele exato minuto ou um minuto antes”, relatou o usuário @purpleflamegan9.

OpenSea admite erro

Com o seu chefe de produtos pego no flagra, o OpenSea veio à público nesta quarta-feira (15) se desculpar pelo ocorrido.

“Ontem soubemos que um de nossos funcionários comprou itens que eles sabiam que deveriam ser exibidos em nossa página inicial antes de aparecerem publicamente. Isso é incrivelmente decepcionante. Queremos deixar claro que esse comportamento não representa nossos valores como equipe”, diz a nota oficial da empresa.

A empresa não informou se Nate Chastain será afastado do cargo, mas disse que irá implementar novas políticas internas para evitar que o incidente aconteça no futuro.

A primeira delas é proibir que membros da equipe OpenSea comprem ou vendam coleções enquanto elas são promovidas na página inicial da plataforma. A segunda polícia aplicada é proibir os funcionários de usar informações confidenciais para comprar ou vender quaisquer NFTs, estejam eles disponíveis no OpenSea ou não.

À medida que o caso começou a circular nas redes sociais, o CEO do OpenSea, Devin Finzer, também lamentou o ocorrido e disse que a empresa vai conduzir uma revisão completa do incidente. “Estamos comprometidos em fazer a coisa certa para os usuários do OpenSea”, tuitou nesta quarta. Até o momento, Nate Chastain não comentou o caso.








Fonte da Notícia