Empresa listada na Nasdaq anuncia venda de mais 10.000 máquinas de mineração de Bitcoin

A empresa de mineração de bitcoin Genesis Digital Assets (GDA) encomendou 10.000 máquinas da Canaan, fabricante chinesa de hardwares. A negociação acontece menos de dois meses depois da empresa investir US$ 93 milhões na mineradoras Avalon, carro-chefe da companhia listada na Nasdaq.

De acordo com um comunicado nesta quarta-feira (16), o novo pedido é para AvalonMiners dos modelos A1246 e A1166Pro. O despacho das mineradoras deve ocorrer até o fim deste mês. 

“Nossa estratégia sempre foi crescer mais rápido do que o resto do mercado. Para alcançar isso, é necessário construir e lançar novos data centers”, comentou na nota o cofundador e presidente executivo da Genesis Digital Assets, Abdumalik Mirakhmedov. Segundo ele, com a nova aquisição, a empresa deve duplicar seu poder de mineração. 

“Estamos entusiasmados em anunciar este pedido de compra adicional da Genesis Digital Assets. Este é um avanço concreto da parceria estratégica de longo prazo de ambas as partes”, disse Nangeng Zhang, Presidente e CEO da Canaan, que ressaltou a negociação anterior, feita entre as empresas em abril. “Nosso objetivo é replicar esta fórmula de parceria de sucesso com mais clientes no exterior para solidificar ainda mais nossa presença nos mercados internacionais”, concluiu ele.

Valor do pedido

O valor do novo pedido, contudo, não foi divulgado, e a Canaan se recusou a comentar quando questionada pelo The Block. Contudo, comentou o site, o preço médio de uma Avalon de ponta como A1246 gira em torno de US$ 5 mil. A1166Pro é mais barata, com um preço médio de US$ 1.300, porém com menor poder de mineração.

A Genesis Digital Assets é subsidiária da Genesis Mining, uma das empresas de mineração mais antigas da China, fundada em 2013. A GDA foi criada para se dedicar na construção de operações de mineração de bitcoin em escala industrial. No site institucional, a empresa afirma que sua missão é construir a maior e mais lucrativa operação de mineração de Bitcoin do mundo até 2025.

Mineração autossuficiente

Por outro lado, a Genesis Mining segue seus planos de tornar a atividade de mineração autossuficiente em energia onde criou sua base na Suécia. Lá, seu projeto prevê a utilização do excesso de calor de sua produção para aquecer estufas para apoiar o governo local na produção de alimentos, ou seja, “resíduos convertidos em recursos”, como afirma a empresa em seu site.

Para o piloto, a Genesis Mining criou contêineres de armazenamento de mineração de Bitcoin especiais que são conectados à estufa por meio de um sistema de duto de ar customizado usado para transferir o excesso de energia.

Além da agricultura em estufas, o calor também pode ser usado para a criação de peixes, insetos e algas, e também para secar biomassa ou frutas e vegetais.

Além da agricultura em estufas, o calor também pode ser usado para a criação de peixes, insetos e algas, e também para secar biomassa ou frutas e vegetais.







Fonte da Notícia