ETF de criptomoedas na Bolsa brasileira chega a R$ 1 bilhão

O HASH11, primeiro ETF de criptomoedas das Bolsa brasileira bateu na segunda-feira (3) R$ 1 bilhão em captação. A marca foi registrada uma semana após o lançamento do fundo na B3.

O HASH11 conta com R$ 1.040.790.824,81 em patrimônio, número 69% superior aos R$ 615.250.700 captados na oferta inicial liderada pela Genial com BTG, Itaú e Banco do Brasil.

Além disso, as cotas do ETF, que estrearam negociadas a R$ 47,20, cada, e agora estão cotadas a R$ 53,89 na manhã desta terça-feira (04).

Conforme o comunicado a imprensa, o HASH11 é o terceiro maior da B3 e conta com 61.500 cotistas. O produto segue o Nasdaq Crypto Index (NCI), índice co-desenvolvido pela gestora brasileira Hashdex e pela Nasdaq, atualmente composto por seis criptomoedas: Bitcoin, Ethereum, Stellar, Litecoin, Bitcoin Cash e Chainlink.

A cesta de ativos do ETF passa por um rebalanceamento a cada três meses, assim como ocorre no Hashdex Nasdaq Crypto Index ETF, fundo de índice que a Hashdex lançou na Bermuda Stock Exchange em fevereiro deste ano e que foi o primeiro ETF de criptoativos aprovado no mundo.

Atualmente, os fundos da casa contam com mais de 100 mil cotistas e mais de R$ 3 bilhões de patrimônio.







Fonte da Notícia