Oi lança plano pré-pago com 25 GB de internet por R$ 25 mensais | Telecomunicações


Além de lançar um plano pós-pago ou controle com franquia de dados ilimitada, a Oi reformulou o pré-pago com uma oferta mais agressiva: cada R$ 1 em créditos equivale a 1 GB de internet, sendo possível contratar 25 GB por R$ 25 mensais. Trata-se do dobro de dados móveis no comparativo com a promoção anterior.

Novo pré-pago da Oi tem plano com 25 GB de internet por R$ 25 mensais

Assim ficaram os planos do Pré da Oi:

Pacote de internet Duração da oferta Preço da recarga
10 GB 7 dias R$ 10
15 GB 7 dias R$ 15
20 GB 14 dias R$ 20
25 GB 31 dias R$ 25
30 GB 31 dias R$ 30

Os planos Oi Pré incluem ligações ilimitadas para qualquer operadora (inclusive DDD) e pacote de SMS. Além disso, as recargas dão direito ao uso à vontade do Instagram, Facebook, Facebook Messenger e WhatsApp (exceto chamadas de voz e vídeo).

A adesão do plano está restrita até o dia 29 de abril de 2021, e o regulamento resguarda a oferta para os primeiros 500 mil clientes. Ainda há um limite de no máximo três linhas por CPF. O pré também dá acesso ao Oi Jornais, Portal do Consumidor, Revista Coquetel e Leia Online; a disponibilidade de cada app varia conforme o valor da recarga.

Opções do pré-pago da Claro, TIM e Vivo

Os planos pré da Oi já eram muito agressivos, e a última modificação reforçou o custo-benefício:

  • a Claro vende o Prezão Mensal com 6 GB de internet mais 6 GB de bônus durante seis meses pelo valor de R$ 29,99. Quem optar pelo pacote semanal pagará R$ 9,99 por 2 GB de 4G;
  • a TIM tem o confuso TIM Pré Top One, que dá 8 GB de internet na recarga de R$ 15. Essa franquia é válida apenas para a primeira quinzena, e o pacote de dados diminui nos próximos ciclos;
  • o Vivo Pré Turbo tem um plano quinzenal com 3 GB de internet por R$ 14,99 e outro com 4 GB de dados por R$ 19,99, com validade de 15 dias.

Oi Móvel foi vendida para Claro, TIM e Vivo

Você pode até querer mudar de operadora, mas é importante lembrar que a Oi Móvel foi vendida para a Claro, TIM e Vivo. O negócio foi feito através de um leilão realizado em dezembro de 2020, e a transação ainda precisa ser aprovada pela Anatel e Cade.

O trio de operadoras se comprometeu a pagar R$ 15,7 bilhões pela Oi Móvel, além de um contrato de capacidade de R$ 819 milhões. A Oi espera encerrar o processo de recuperação judicial com a conclusão do negócio, e irá concentrar seus esforços na expansão de fibra óptica no Brasil.

Se o negócio se concretizar, a Oi Móvel será extinta e os cliente serão absorvidos por Claro, TIM e Vivo. A divisão das linhas de celular serão feitas de acordo com a participação de mercado em cada DDD, privilegiando a tele que tiver a menor quantidade de chips na região:

  • a TIM deve ficar com 14,5 milhões de linhas;
  • a Claro receberá 11,7 milhões de clientes;
  • a Vivo irá incorporar 10,5 milhões de chips.

Com a mudança no comando, é altamente improvável que a oferta de 1 GB para cada R$ 1 se mantenha por muito tempo, uma vez que as operadoras compradoras podem adequar os planos após o período mínimo do contrato.

Todos os planos e valores citados na matéria são referentes a São Paulo (DDD 11) e podem variar conforme a localidade.



Fonte Notícia