SpaceX quer adquirir empresa que opera minissatélites de Internet das Coisas

SpaceX quer adquirir empresa que opera minissatélites de Internet das Coisas
Curso Código Milinário


A SpaceX concordou em desenvolver a subsidiária Swarm Holdco, em parceria com a Swarm Technologies, empresa que já opera uma pequena constelação de minissatélites de internet, com foco na Internet das Coisas (IoT). O acordo, assinado em 16 de julho deste ano, não foi divulgado na época, mas veio à tona agora com os relatórios da Federal Communications Commission (FCC), publicados no último dia 6 de agosto, sugerindo que as negociações entre as duas empresas estão em andamento há meses.

De acordo com os relatórios da FCC, a Swarm buscou aprovação para transferir suas licenças existentes de satélites e estação terrestre para a SpaceX. A subsidiária em questão, chamada Swarm Holdco, foi incorporado em 5 de maio deste ano. A Swarm tem uma constelação de 120 pequenos satélites em operação, que são responsáveis por fornecer comunicações bidirecionais com baixas taxas de dados para setores como agricultura, energia e transporte. No documento, a empresa argumenta que pode fornecer os serviços por uma fração do custo dos modelos convencionais do mercado — ou seja, com a aquisição, a SpaceX pode se dar bem em outra fatia do mercado de fornecimento de internet, em paralelo com seu projeto Starlink.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Atualmente, a Swarm tem em órbita 120 destes pequenos satélites chamados SpaceBee (Imagem: Reprodução/Swarm Technologies)

Ainda no processo da FCC, as duas empresas alegam que a aquisição dará à Swarm os recursos para competir com várias outras empresas que operam satélites semelhantes. “Os serviços da Swarm se beneficiarão da melhor capitalização e acesso aos recursos disponíveis para a SpaceX, bem como das sinergias associadas à aquisição por um provedor de serviços de design, fabricação e lançamento de satélites”, afirmam. No início de 2019, a Swarm abriu uma rodada de financiamentos e levantou cerca de US $ 25 milhões — montante suficiente para implantar a constelação e iniciar os serviços.

No entanto, os benefícios práticos para a SpaceX, ao adquirir a Swarm, ainda não são claros. Os satélites de ambas as empresas operam, por exemplo, em frequências diferentes. Além disso, a receita que a Swarm eventualmente fornecerá será minúscula em comparação ao que a SpaceX já obtém pelas assinaturas beta de sua rede Starlink — sem contar, é claro, com seus serviços de transporte espacial. Na verdade, o documento da FCC indica a SpaceX se beneficiará com o acesso à propriedade e experiência desenvolvida pela equipe Swarm, “bem como com a adição desta equipe engenhosa e eficaz à SpaceX”, acrescentam.

Em março deste ano, Sara Spangelo, co-fundadora e chefe-executiva da Swarm, participou de um webinar conduzido pelo Keck Institute for Space Studies, da Caltech. Na ocasião, Spangelo foi questionada sobre onde ela imagina sua empresa daqui a 10 anos. “Acho que teremos lançado pelo menos uma, senão duas, constelações diferentes”, respondeu, revelando as aspirações da Swarm em atender as futuras demandas que surgirem.

Fonte: SpaceNews

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.



Fonte Notícia