Turquia obriga corretoras de criptomoedas a seguir regras mais rigorosas para operar no país

O governo da Turquia publicou um decreto no sábado (1º) que endurece as regras que as exchanges de criptomoedas devem seguir para operar no país. 

A norma adiciona as corretoras na lista de instituições financeiras que precisam seguir as leis de combate ao financiamento do terrorismo e a lavagem de dinheiro. Com isso, toda empresa do setor deve responder as mesmas diretrizes de segurança dos bancos tradicionais. 

A regulação entrou em vigor assim que foi publicada em diário oficial e torna as exchanges responsáveis por garantir que os ativos da plataforma não sejam usados em práticas ilegais. 

Elas devem melhorar as práticas de KYC (conheça seu cliente, na sigla em inglês) e exigir comprovante de residência e documento de identidade de todo cliente, além de fazer verificações periódicas dessas informações.

Além disso, as corretoras também precisam reportar às autoridades qualquer movimentação suspeita e negar o acesso aos serviços para qualquer pessoa cujo nome esteja na lista negra do governo. 

O novo decreto foi publicado um dia depois que passou a valer a proibição do uso de bitcoin e outros criptoativos como forma de pagamento na Turquia.

A medida veio da autoridade monetária do país que considera as transações com criptomoedas “arriscadas” e capazes de causar “danos irreparáveis” ao consumidor.

Mais decretos podem estar por vir nos próximos dias. Em 23 de abril, o presidente do banco central da Turquia, Şahap Kavcıoğlu, disse que os ativos digitais não serão proibidos, mas que o setor vai passar por uma regulamentação completa dentro de duas semanas.

Interesse por bitcoin decola na Turquia

As regras mais rigorosas chegam depois que duas exchanges da Turquia — Thonex e Vebitcoin — fecharam as portas sem fazer qualquer aviso prévio, travando fundos de milhares de clientes que agora temem serem vítimas de um golpe. 

Ao mesmo tempo que essas fraudes acontecem, decola o interesse por criptoativos na região. As tensões políticas na Turquia estão causando uma desvalorização da moeda nacional e, para se proteger, muitos turcos recorrem ao bitcoin.

Esse movimento ficou mais claro depois que o antigo presidente do banco central da Turquia foi demitido no final de março, fazendo o valor da lira turca desabar. Logo em seguida, as buscas no Google pela criptomoeda disparam no país.








Fonte da Notícia